Desde que existem edifícios, sejam eles comerciais ou residenciais, e já faz muito tempo, há também o envolvimento da administradora de condomínios. É ela que colabora para o bom andamento da vida condominial, exercendo atividades pré-combinadas e ajustadas de forma a determinar, tanto o saneamento da contabilidade, quanto todo o aspecto fiscal e jurídico envolvido num condomínio.

Separamos algumas dicas importantes para administradora de condomínios, confira:

1. Criatividade e previsão

Sempre na pauta do dia em assuntos condominiais, estão as ideias para minimizar, ao máximo, as taxas de condomínio.

Com o objetivo de baixar os custos fixos e variáveis se requer, além de ideias inovadoras, uma previsão orçamentária bem elaborada. E é isso que a administradora deve estar apta para oferecer.

2. Documentação

Um grande problema enfrentado por uma administradora de condomínios é a burocracia que envolve a grande quantidade de documentos gerados. Precisam ser guardados recibos, processos, certidões e outra infinidade de papéis, que parecem não ter fim.

Por isso é de suma importância, a automatização desse processo, procurando estar sempre em dia com as novas tecnologias. Isso agiliza todo o gerenciamento da documentação condominial e economiza papel. Saiba como automatizar as rotinas de administração de condomínios 

3. Legislação

Em um mercado cada vez mais competitivo, a administradora de condomínio deve estar, também, sempre atenta à toda legislação que rege os condomínios.

Além disso, a administradora é obrigada a fazer as retenções e os devidos recolhimentos de todas as empresas prestadoras de serviços que atendem o condomínio em questão. Todos os documentos têm que ser analisados, verificando-se a necessidade de recolhimento dos mais diversos tributos.

Legislação trabalhista para condomínios: o que o síndico e gestores precisam saber

4. Assembleias condominiais

Embora nem sempre as administradoras estejam obrigadas a participar das assembleias gerais do condomínio, sua presença se torna importante como possível mediadora de conflitos.

Conhecendo bem a legislação, o representante da administradora pode ajudar, sugerindo medidas coerentes, viáveis e pacificadoras.

5. CNPJ dos condomínios

Por último porém não menos importante, é a atualização regular do CNPJ – Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas, do condomínio. Sem ele devidamente cadastrado e atualizado, fica praticamente impossível gerir contas e transações condominiais.

Quer ler mais conteúdo como este? Acesse o nosso blog.