Momentos depois de eventos marcantes, principalmente os que obrigam as pessoas a mudarem seu comportamento e adquirirem novos hábitos, muitas das adaptações e condutas permanecem. E isso irá acontecer com os condomínios depois que a pandemia passar. Academia, espaços públicos, limpeza e muitas outras questões serão encaradas com novos olhos, por mais que tudo tenha, teoricamente, voltado ao “normal”. O mundo não vai ser mais o mesmo, e com isso teremos um novo normal que teremos que encarar.

 Impactos no condomínio

 Com grande parte da população passando mais tempo em casa, desafios foram surgindo para que pudéssemos lidar com essa situação. A tecnologia veio como forma de auxílio, mas agora ela se tornou fundamental para conseguirmos realizar algumas das tarefas que costumávamos fazer. A assinatura de contratos por exemplo, passou a ser feita de forma totalmente digital, eliminando a necessidade de cópias físicas e também de um espaço exclusivamente para o seu arquivamento.

 Um dos problemas que ficou mais recorrente são os conflitos entre condôminos. Se antes o síndico precisava ter uma pequena noção de resolução de conflitos, ela agora passou a ser indispensável.

 A convivência das pessoas em ambientes mais isolados também pode ser um desafio, porém através de assembleias virtuais, é possível ter uma maior participação de todos os moradores do condomínio.

 Também é preciso ter consciência sobre um problema que deve ser reconhecido o mais rápido possível: o lixo. Com uma concentração muito mais de pessoas em casa, todo o lixo que antes ia para os estabelecimentos comerciais passa a ficar no próprio condomínio. Com o delivery, embalagens plásticas e recicláveis são muito mais frequentes, e para lidar com isso, um sistema de coleta seletiva é essencial.

 As novas exigências do síndico

 Com a mudança da abordagem necessária referente a novas situações, o síndico precisa de familiaridade com tópicos que antes podiam ser contornados. Como citado acima nesse texto, a habilidade de resolução de conflitos se tornou indispensável. Mais pessoas convivendo no mesmo ambiente faz com que desentendimentos surjam. Também é necessário que tenha conhecimento em tecnologias, seja da parte legislativa ou de comunicação.

 A nova preferência por profissionais que sejam ágeis, empáticos, capacitados digitalmente e que consigam tomar decisões de forma efetiva aumentaram significativamente.